Swakopmund – o litoral da Namíbia

Litoral da Namibia

Swakopmund (14)
Palavra que causa estranheza quando vista pela primeira vez, acaba sempre exigindo uma segunda leitura para buscar a pronúncia correta; “Suakopmund”, quer dizer em alemão “delta do Swakop”, o delta do rio Swakop. Esta cidade litorânea, a segunda mais populosa do país, foi fundada por colonizadores em 1892, sendo então o principal porto alemão nesta região da África. Era por lá que chegavam mercadorias e passageiros, que depois embarcavam no trem que fazia a conexão com Windhoek, atual capital da Namíbia.

Velhos dormentes da estrada de ferro que ligava Swakopmund a Windhoek.
Velhos dormentes da estrada de ferro que ligava Swakopmund a Windhoek. (foto Marco AR Guimarães).

Se você for tele transportado (!) para Swakopmund pode achar que foi parar na Alemanha tal e a quantidade de construções em estilo germânico. Antigas construções como o atual museu militar são belos exemplares que valem a visita.

A área central da simpática Swakopmund.
A área central da simpática Swakopmund. (foto Marco AR Guimarães).
Swakopmund
Bons restaurantes, livrarias e cafés.

A cidade não abriga mais o porto, que foi remanejado para Walvis Bay ao sul, sendo hoje um simpático balneário que fica lotado de visitantes da própria Namíbia nos meses de férias escolares no verão. A cidade é um oásis para quem sobe do sul em direção às atrações no norte do país e para quem chega de lá, a caminho das super dunas do Deserto Namib. Nossas viagens sempre incluem uma parada na cidade, de onde nossos clientes podem visitar atrações como o aquário municipal e museus, com destaque para o Museu dos Cristais e sua incrível coleção contando a história geológica da Namíbia.

O Museu dos Cristais
O Museu dos Cristais
O Museu dos Cristais, onde você pode comprar jóias!
O Museu dos Cristais, onde você pode comprar jóias!

Não podemos deixar de citar os passeios de quad e camelo pelas dunas que rodeiam a cidade, fazer tour de barco ou sobrevoar a famosa Costa do Esqueleto em aviões.

Swakopmund
Briefing para a aventura de Quad.
Quad, emoção garantida nas dunas de Swakopmund.
Quad, emoção garantida nas dunas de Swakopmund. (foto Marco AR Guimarães).

A culinária é rica em opções da comida alemã e é onde podemos degustar o melhor joelho de porco da viagem toda. Se você caminhar pelas ruas centrais poderá encontrar também restaurante com comida indiana, uma delícia!

O Sol de despede da África
O Sol de despede da África (foto Marco AR Guimarães)

Sentar na orla do Atlântico e curtir o por do sol é um momento de descanso muito especial, quando sabemos que nosso lindo Brasil está lá a 6.500 km, do outro lado do oceano, iniciando o dia enquanto o astro rei desaparece no horizonte da África.

Fique por dentro do calendário de expedições na África em http://www.africa4x4.com.br

Artigo de: João Roberto Gaiotto

Fotos: África 4×4 e Marco A. R. Guimarães

O Milodon

Milodon_005
A Cueva del Milodon ( Remi Jouan)

Ao viajar pela Patagônia chilena passamos pela cidadezinha de Puerto Natales e de lá seguimos viagem em direção a um dos icônicos parques nacionais chilenos, o Parque Nacional Torres del Paine. Entretanto, no caminho temos que fazer uma parada obrigatória, cerca de 25 km adiante, para conhecer o lugar de uma descoberta incrível que aconteceu em 1895.

Em uma de suas caminhadas exploratórias o alemão Hermann Eberhar adentrou em um complexo de cavernas no Cerro Benitez e lá nos fundos da maior delas encontrou o esconderijo de tribos ancestrais e também restos de um animal estranho à época; enorme e quase parecido com um urso.

Milodon_estatua
El Milodon

O problema é que naquelas paragens não havia ursos e ainda hoje eles não habitam a Patagônia ou a cordilheira ali tão próxima. Cerca de um ano depois outro explorador, Otto Nordenskjöld, identificou o animal e o batizou com o pomposo nome científico de Milodon darwini. Uma espécie herbívora semelhante ao bicho preguiça, só que com quatro metros de altura. Hoje uma réplica em tamanho natural dá as boas vindas aos visitantes.

A linda caverna, que ganhou o nome de Cueva del Milodon, tem uma abertura impressionante de 30 metros de altura e comprimento de 200 metros.

Milodon_004

Ela é a abertura principal de uma série de cavidades naturais que podem ser visitadas pelos aventureiros modernos. O local é administrado pelo departamento de turismo do Chile e é ponto obrigatório de visitantes que vão e que procedem da região das Torres del Paine.O local é completamente sinalizado e o passeio vale cada metro, onde a vegetação patagônica abre brechas deixando ver ao longe a beleza das montanhas cobertas de neve mais adiante. Milodon_003

É, o Milodon sabia viver bem e escolheu um lindo lugar para morrer! Os especialistas modernos datam o Milodon como extinto no Pleistoceno, entre 10.000 e 13.000 atrás.
O quê poucos sabem é que há fortes indícios de que no século XIV exploradores chineses visitaram, e mapearam, toda aquela região. Existem gravuras daquele período mostrando o enorme Milodon vivo, sendo levado em navios para exposição na China. Há muito o que ser descoberto, e redescoberto, sobre a Patagônia.

Quer conhecer a região? A África 4×4 Expedições tem roteiro para a Terra do Fogo e Patagônia, visite o Slate da Expedição e confira os detalhes.
Quer mais um incentivo? Bom, então dá uma olhada neste Vídeo Fantástico realizado pelo Conaf do Chile.
Mais informações nos fones 041-3085-7467, 041 99349277 ou pelo e-mail viagens@africa4x4.com.br
Confira o Site da África 4×4 Expedições

El Calafate

ElCalafate_001

Nossa Aventura Austral tem início em El Calafate, nome da cidade situada ao lado do lago Argentino, herdado de uma bela flor desta região patagônica.

ElCalafate_002Repleta de boas lojas para atender os turistas, seu povo simpático está sempre disposto a ajudar com dicas e informações sobre a cidade e a região.Visitar a cidade pede também uma tranquila caminhada pela Avenida Libertadores, com seus bons restaurantes, cafés, lojas de chocolate e artesanatos!
El Calafate é a porta de entrada para quem explora a região dos Glaciares de Perito Moreno e El Chaltén. ElCalafate_003

É também nossa “base de operações” de nossa  aventura pela Patagônia e Terra do Fogo.

Explore a Patagônia e Terra do Fogo com Dólar Congelado!

Lago-Pehoe-Torres-del-Paine-Turismo-Chile.jpg.1024x0
A África 4×4 Expedições congelou o dólar para você aproveitar janeiro e explorar a linda região da Patagônia, com seus glaciares e parques nacionais da Argentina e Chile.
A expedição Self Drive 4×4 tem 15 dias de duração e se inicia em El Calafate no dia 9 de janeiro, percorrendo trajetos calculados para mostrar o que há de mais belo naquela região mágica da América do Sul. A aventura segue até Ushuaia, no território da Terra do Fogo, o famoso Fim do Mundo.
milodon-1.jpg.1024x0
O dólar fica congelado até o dia 25 de outubrode 2015, portanto não perca tempo e garanta sua vaga!

Quer saber mais desta super expedição?

Visite o Slate da Expedição e confira os detalhes do roteiro.
Quer mais um incentivo? Bom, então dá uma olhada neste Vídeo Fantástico realizado pelo Conaf do Chile.
Mais informações nos fones 041-3085-7467, 041 99349277 ou pelo e-mail viagens@africa4x4.com.br

O leões do Etosha

Leoes_Etosha_set2015-5

Terminamos mais um safari no Etosha, esta é minha nona expedição na Namíbia e desta vez batemos um recorde pela referência das outras visitas será muito difícil de superar. Encontrar leões no parque é o desejo de onze de cada dez pessoas que temos o prazer de trazer para cá, encontrá-los é sempre uma questão de sorte e oportunidade. Desta vez conseguimos em apenas um dia encontrar leões em quatro locais, fazendo os demais turistas babarem quando comentávamos no jantar.  Leoes_Etosha_set2015-6 Leoes_Etosha_set2015-7 Leoes_Etosha_set2015-8
O ponto máximo foi alcançar um dos bebedouros e ver um grupo de girafas serem cercadas por três fêmeas e dois machos, um deles garantindo que nenhuma delas chegaria até a água.

Leoes_Etosha_set2015-3 Leoes_Etosha_set2015-1Leoes_Etosha_set2015-2

Foram espertas, deram a volta e continuaram com sede. Seguem as fotos. Vamos torcer para que os próximos grupos tenham a mesma sorte e os leões colaborem! (texto copiado de nosso perfil no Facebook).

O Brandberg

Brandberg-1Em nosso safari pela Namíbia visitamos o imponente Brandberg, montanha sagrada dos povos nativos, que se situa na área central do país. Rodeado de trilhas de cascalho e areia, o monte se destaca ao longe, quando viajamos pelo deserto e podemos notar sua silhueta a quilômetros de distância.
É considerada a maior montanha da Namíbia, com 2606 metros acima do nível do mar.Brandberg-01

Outrora um vulcão, há milhões de anos, o Brandberg hoje é um maciço de rochas que guarda milhares de pinturas rupestres espalhadas pelos seus caminhos estreitos  em direção ao coração da montanha.


O mais famoso sítio arqueológico é o White Lady Paint, que concentra pinturas com idade de 4.000 a 8.000 anos. É espetacular observar a arte deixada na rocha há tanto tempo e com tanta riqueza de detalhes.Brandberg-3

Apesar do nome da pintura se referir a uma mulher, a Dama Branca, o que temos mesmo é um homem muito bem retratado, se é que me entende (!), em trajes e armas de guerra. Dar o nome da pintura para uma mulher foi uma estratégia para promover melhor o lugar.

Fotos: África 4×4 e Thomas A. Hecke

Olha a cheetah!

Cheetah

Conhecida também como Guepardo, este lindo felino é o animal terrestre mais rápido que conhecemos. Em uma disparada é capaz de atingir velocidade ao redor de 110 km/h e é difícil um animal escapar de suas garras depois que ela define o alvo. Ao ver de perto este campeão da savana notamos os detalhes que a natureza lhe deu para ser tão veloz; grande narinas e peito bem desenvolvido, o que lhe dá grande capacidade pulmonar.
Mas, só a velocidade não basta, é preciso ter um corpo com grande flexibilidade para acompanhar as mudanças bruscas de trajetória durante a corrida. A direção é dada pela cauda e a coluna super flexível ajusta o corpo direcionando o ataque letal para cima da presa.

Cada cheetah tem seu padrão de pintas na pelagem da cauda, é como uma impressão digital, não existem duas iguais.

Cheetah2Em nossa viagem visitamos o CCF – Cheetah Conservation Fund na região central da Namíbia, onde voluntários de todo o mundo se revezam na conservação de exemplares orfãos, que perdem a mãe para caçadores e fazendeiros que não aceitam a aproximação dos bandos para atacar animais domésticos e criação em geral.

Um filhote abandonado jamais será capaz de viver sozinho na natureza, ele precisa conviver três anos junto da mãe para aprender a caçar.

O CCF faz um trabalho incrível mantendo um importante banco genético e exportando exemplares para o mundo todo, mantendo, na medida do possível, a existência deste incrível e belo animal.

Aventura Austral – Patagônia e Terra do Fogo

Expedição self-drive na Argentina e Chile
Expedição self-drive na Argentina e Chile

Lançamos na semana passada nossa aventura pela Patagônia e Terra do Fogo. Destino requisitado há algum tempo por nossos clientes, a viagem reúne tudo o que há de mais bonito no leste da Cordilheira dos Andes até a famosa cidade de Ushuaia, no território da Terra do Fogo.

Nossa primeira Aventura Austral será em janeiro, com saída no dia 9 de El Calafate na Argentina, retornando para a mesma localidade no dia 23. Isto mesmo, não sairemos do Brasil e decidimos fazer desta forma para não tirar de você algo muito especial, o seu tempo!

A viagem terá 15 dias de duração, facilitando a participação para quem não tem tempo para ir de carro do Brasil e dispender quase 30 dias de viagem. Também atende àqueles que quem não tem 4×4 e desejam realizar o sonho de fazer uma expedição off-road conhecendo um dos grandes destinos turísticos e de aventura no sul do continente americano. O pacote será operado no mesmo formato que usamos na África desde 2007, cada quatro pessoas receberá uma picape 4×4 para conduzir pela incrível Patagônia e Terra do Fogo. O roteiro tem 2600km de percurso, acompanhado por guia brasileiro e com hospedagem em excelentes hotéis com calefação.

Confira a apresentação da viagem clicando na imagem abaixo:

Slate da Aventura Austral
Confira nosso Slate da viagem.

Garanta sua próxima aventura, você tem um encontro marcado com o Fim do Mundo!

O Mar de Areia

foto: Thomas A. Hecke
Dunas fósseis de Sesriem. Foto: Thomas A. Hecke

Sossusvlei compreende uma área do grande Deserto Namib e guarda um galeria maravilhosa das mais altas dunas da Terra. É uma experiência inesquecível.

Entramos no parque logo que os portões são abertos, bem cedinho e junto com uma fila de carros, caminhões de Overland e jipes 4×4 de todos os tipos. Sim, temos pessoas do mundo todo aguardando para ver o amanhecer iluminar gradativamente as montanhas intermináveis de areia colorida pelo óxido de ferro, que deixa tons entre o vermelho e alaranjado dependendo do horário e da inclinação dos raios do sol. Em certas áreas da região, como em Sesriem, temos dunas fossilizadas, endurecidas pelos milhões de anos. Ao se aproximar delas percebemos o estágio avançado de sua compactação. Mais alguns milhões de anos e ficarão mais duras e firmes como uma rocha.

A Duna 45. O contraste de cores não é obra de nenhum Photoshop.
A Duna 45. O contraste de cores não é obra de nenhum Photoshop.

As principais dunas do parque são numeradas e sempre visitamos a Duna 45. Seus 170 metros de altura são um bom desafio serem vencidos e para lá de cima curtir a imensidão do mar de areia Namib.

Depois de alguns quilômetros de areia fofa e uso constante do 4x4 em low range chegamos  no final da estrada do parque, lugar para um bom descanso e picnic. Foto: Thomas A. Hecke.
Depois de alguns quilômetros de areia fofa e uso constante do 4×4 em low range chegamos no final da estrada do parque, lugar para um bom descanso e picnic. Foto: Thomas A. Hecke.

Se esta duna for pequena para você, então precisa saber que a região guarda o Big Daddy, a maior de todas, com pouco mais de 330 metros de altura. Legal né?!